O DOM DE LÍNGUA COMPRIDA

Pastor peguei este aquiPor mais que pareça engraçado falar sobre esse assunto, pois logo pensamos na fofoca, na verdade falar mal dos outros é uma coisa que eu acho, particularmente, das mais repugnantes e covardes, já que quase sempre ocorre “pelas costas” da vítima.

Embora alguns achem até normal falar mal de pessoas que, em tese, merecem porque são chatas, ou estão sempre se metendo onde não são chamadas, etc., na verdade essa prática é um dos males que mais afetam a sociedade; mais grave ainda em se tratando do Povo de Deus[1] da Nova Aliança, a Igreja, pois a Bíblia define isso como Murmuração. Diz-nos Sinomar (2004)[2], que “a discórdia entre os filhos de Deus tem sido a melhor colheita de Satanás.”

Murmuração, do latim “murmurare”, segundo o Dicionário Aurélio, é o ato de censurar ou repreender disfarçadamente, soltar queixumes, lastimar-se, queixar-se em voz baixa, falar mal, apontar faltas, tomar mau juízo de alguém ou de alguma coisa. Todas as pessoas são alvos destas provações cotidianas; mas a atenção do mundo se volta é para o cristão que não vigia e comete tais erros.

Na Bíblia, no livro de Números 14, encontra-se o relato de Israel que, ao atravessar o deserto, murmurava contra Deus e os líderes que os guiavam e, por isso, sofreram duras conseqüências. O Apóstolo Paulo relembra alguns pecados desse povo, e adverte: “Nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador (1 Coríntios 10:10).”

Durante a nossa caminhada, como Israel, muitas vezes nos achamos murmurando contra os rigores do deserto, contra a pesada cruz, mas que são a própria essência do nosso chamado; murmuramos contra os servos de Deus e não percebemos que estamos nos queixando do próprio Deus. Surgem as discórdias, as desavenças, e logo vem a divisão, o enfraquecimento e a conseqüente derrota do povo de Deus… E, assim, “a contenda religiosa é a melhor colheita de Satanás.”

O salmista Davi diz: “Refreia a tua língua do mal, e os teus lábios de falarem dolosamente (Salmo 34:13).” É fácil perceber que o órgão humano mais usado na murmuração é a língua; são os insatisfeitos que a usam para esse fim. Em todos os lugares há pessoas insatisfeitas, que emperram a Obra de Deus com suas insatisfações; talvez seja por isso que até tem um ditado: “O primeiro parafuso que fica frouxo na cabeça dos insatisfeitos é o que controla a língua”. Os insatisfeitos vivem mudando de igreja, não possuem raízes e não são fiéis. A insatisfação é a sepultura da alegria; deixa os corações amargurados dos insatisfeitos, que acabam caindo em prostração espiritual, tomando decisões precipitadas e fora da vontade soberana de Deus.

Mas graças a Deus que nos providenciou um escape. Nos primórdios da era Cristã, Paulo escreveu aos Filipenses: “E vós também regozijai-vos e alegrai-vos comigo por isto mesmo (Fp 2:18)”. O Senhor nos chamou para uma vida abundante, alegre e feliz. Todo o sentimento de tristeza e culpa Jesus já levou na cruz, pagando o preço da nossa alegria. Por isso Ele diz: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei (Mateus 11:28)”.

[1] Bíblia Sagrada, versão on-line.

[2] SILVEIRA, Sinomar Fernandes da. Murmuradores, o mal que assola a Igreja. Luz para os Povos, 2004.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s