MIMADO

A proposta do autor do livro é alertar aos leitores sobre o perigo das pessoas se entregarem a qualquer carinho, a qualquer aparência de afeto, a qualquer mimo. Baseia-se na história bíblica de Sansão, onde explica o imenso risco do mimo ou carícias. Lembra que o ato de cortar os cabelos de Sansão não foi uma ação brusca, mas aconteceu depois de um período de carícias, de agrados, de mimos.

Discorre sobre a forte tendência das pessoas em quererem vencer sozinhas suas lutas e dilemas pessoais. Que apesar do aumento populacional, as pessoas estão enfrentando uma erosão nos relacionamentos interpessoais; com o aumento da tecnologia da comunicação, que possibilita a todos uma comunicação virtual e imediata, paradoxalmente aumentou o seu vazio existencial, o que os torna presa fácil do engano. Cita a importância do abraço, sobre o encontro de Esaú e Jacó, e sobre a deslealdade de pessoas que muitas vezes abraçam e cumprimentam, mas no fundo o que mais desejam é ver completamente a ruína do seu próximo.

A história de Sansão é uma história que se repete a cada dia na vida de muitas pessoas. O cenário em que Sansão apareceu como o décimo quarto juiz de Israel, era de uma nação que buscava sua independência de Deus, só se lembrando do Criador quando surgiam os adversários que a afligiam. Sansão era dotado de uma força descomunal e, enquanto permaneceu debaixo da aliança com Deus, ele foi invencível. Da mesma forma, nos dias atuais, quem permanece em Cristo é conduzido em triunfo, conforme afirma Paulo em 2 Coríntios 2.14.

Sansão foi derrotado por suas fraquezas, que facilmente invadem o espírito das pessoas. A força de Sansão tinha uma fonte. Ele era forte porque Deus estava presente em sua vida. O que ele não soube foi cultivar para sempre esta presença. O grande desafio das pessoas é o de se manterem firmes no lugar onde Deus as colocou. Sansão não soube se manter no posto; era temperamental, e sua impetuosidade era aplicada em coisas erradas. É uma história cercada de virtudes e defeitos; por isso, ela se torna bem atual.

A necessidade de ser agradado, acariciado, amar e ser amado, é muito forte no ser humano, que muitos procuram apagar todas as lembranças de compromissos e alianças firmadas no passado. Quando isso acontece com as pessoas, que permitem que os agrados do mundo rapem seus cabelos, quando acordam, na hora da crise e da dificuldade, já é tarde: estão derrotadas, cegas e amarradas. O retorno não será tão fácil quanto o mergulho.

Somente a fidelidade de Deus é que deu nova oportunidade a Sansão de abraçar as colunas que sustentavam a casa dos adversários. Para muitas pessoas essas colunas representam uma tentação, uma crise financeira, um desencantamento ou desilusão, uma enfermidade, etc. Mas para aquelas que colocarem sua confiança na fidelidade de Deus, novamente poderão crescer seus cabelos espirituais, pois Ele quer que cada uma abrace essas colunas e as deitem no chão. Jesus abraçou as colunas do pecado que pesava sobre a humanidade, dando a cada pessoa o direito de viver novamente. Sansão morreu para dar liberdade ao seu povo; hoje, porém, não há necessidade de que alguém faça isso, pois Jesus já fez isso por todos.

Resenha do livro do Pr. Tito Oscar: O Perigo de Ser Mimado, Rio de Janeiro/RJ, Editora Central Gospel, 2004.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s